sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Verônica Fernandes e Flávio Mamoha


Thiago Fournier & Natália Pinho

Moda Brexó - Foto: Verônica Fernandes

Brexó das Artes

Moda Brexó - Fotos: Lula Portela

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Blue (moon) Mood!





Thiago Fournier e Flávio Mamoha





Humores!

Lua Cheia. "BLUE" MOOD! Flávio Mamoha (guitarra e violão percussivo) e Thiago Fournier (baixo e instrumentos percussivos). Veja algumas fotos deste domingo, iluminado n'A Casa Amarela de Casa Amarela. Rua João Barbalho, 200A - Casa Amarela.
A flauta de Luciano Brayner e a Palestra Kris Fournier sobre os simbolismos do filme MATRIX. Astróloga e terapêuta floral.
e a platéia participa!















quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Yellow Sound News: Flávio Mamoha e Thiago Fournier


Moda Brexó - Série: Protagonistas











Que noite...que som!!!



Foi uma noite de um som incrível. A Yellow sound. A lua nova lá no alto. Duas estrelas ao seu lado. Flávio Mamoha e Thiago Fournier no comando da mesa, guitarra, violão e contrabaixo e outros instrumentos percussivos. A Yellow sound, in a blue mood!
Domingo tem mais, a partir das 18horas. Além do Brexó. Dessa vez, das Artes. Brexó D'Arte!
Rua João Barbalho, 200A. Casa Amarela.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

vermelho ou 'encarnado' ? Brexó das Cores : Quem pintou a Chita? Pinte você, por lá!


Dias 28, 29 e 30 de Novembro.
Das 9h às ...
Convidado: Hélder Vasconcelos (Cavalo Marinho).

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Figurino para filmes? Moda Brexó!









Tipo TOPs

Moda para VIP's (Very Indiferent People)

cinema de graça








Identidades Urbanas (Tuca Siqueira)

O TRIUNFO (Geórgia Alves) com direito a debater com as roteiristas... mais cinema!

BarBrexó







comes e bebes
frios, canapés, queijos, cerva, vino vino e trufas
hum...

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Tudo de bom que há no Brexó 'burning the yellowhouse'


31 de Outubro de 2008

A partir das 20h

&

01 e 02 de Novembro

das 09 da manhã até o último 'cliente'




Venha aquecer seu Verão no 'Burning' Brexó

Rua João Barbalho, 200-A

1a. paralela à rua da Harmonia - Casa Amarela


O dia 31 de Outubro - famoso por 'travessuras e gostosuras' será o dia de 'queimar' e fazer circular a melhor energia.


N'A Casa Amarela:


- Música

- Moda

- Artes Plásticas

- Artesanato

- Instalações
& Cinema com pipoca


mais comes & bebes para todos os gostos
bombons para quem ainda é criança!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Brexó - De bom que há!


Incendeie sua rotina

O que há para vestir, ouvir, ler, decorar e viver com ...

Arte, Moda, Música, Comida e Bebida
Por nada ou quase nada. E por diversão, garantida.

n'A Casa Amarela
Rua João Barbalho - 200A
Paralela entre a rua da Harmonia e acesso à Praça de Casa Forte.

31 de Outubro - A partir das 20 horas - Travessuras e Gostosuras!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Rolos e mais rolos de filme

MY WORLD:




















"This" acima citado; Amélie Poulain (pela vigésima vez); Os indomáveis (3:10 to Yuma) idem; Os donos da Rua; Eu sou a Lenda (blargh); Pecados Íntimos; Beowulf; Noites de Tormenta (ai ai Gere...); Ensaio sobre a Cegueira (logo depois de ler o livro, pela 2a. vez) e outros seis que não me lembro o nome agora (vou pedir a lista a Marquinhos da Halug, prometo): prêmio para quem trabalhou incassáveis 60 dias por uma Olinda que pode mais!

Hello, yellowhouse! I'm back to work to you.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Burning!!!

Come and See:
Take part on it!!!
We'll left the 'overs'.
Burn the 'sins'

Incendeie sua vida: Moda, Móveis, Maluquices, Música...
31 de Outubro - A partir das 20 horas - 18h pra quem quiser participar da arrumação (acender as velas e decorar o ambiente ao som de muita gente boa - viva ou morta!)




Travessuras e Gostosuras (Doces para as crianças, bebida para adultos e comida para tod@s!!!)


Vá a pé! e traga o que quiser 'fazer circular'

Brexó 'Burning'
n'A Casa Amarela
Rua João Barbalho, 200-A

Pena que a Natureza fizesse de ti um só indivíduo


Holmes fez um resmungo lúgubre.


- Eu temia isso, disse ele. - Francamente, não posso felicitá-lo.


Fiquei um tanto magoado.


- Tem alguma razão para não concordar com a minha escolha?


- Nenhuma. Acho que ela é uma das moças mais encantadoras que já encontrei, e que ainda poderia ser muito útil num trabalho como o que acabamos de fazer. Ela tem faro para isso, haja vista como guardou o plano de Agra dentre todos os papéis do seu pai. Mas o amor é uma coisa emotiva, e o que quer que seja emotivo é contrário a esse raciocínio frio e correto que ponho acima de tudo. Eu nunca me casarei, para evitar que isso perturbe o meu raciocínio.


- Confio, disse eu, rindo, que o meu possa sobreviver a essa prova.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

terça-feira, 16 de setembro de 2008

From an umbrella to another


"A justiça foi concebida por Aristóteles como a virtude da medida, que incluia em si todas as outras. Virtude era a capacidade, a excelência de ser ou de fazer algo bem feito. No campo da ética, ele significava o justo meio entre o excesso e a falta - típicos dos sentimentos humanos"


continua Márcia Tiburi em sua descrição sobre os ensinamentos de Aristóteles:


"Nela estava inclusa a decisão que define toda ação. Hoje ela aparece nas nossas decisões de dizer e fazer quando procuramos evitar a inconseqüência das ações". Só podemos agir corretamente se pensarmos no que fazemos. Pensar no que fazer é justamente achar a medida entre os excessos. Isso nos faz pensar na qualidade das coisas que dizemos"


E conclui: conseqüentemente...


"Na qualidade das coisas que provocamos ao nosso redor".


: A Justiça, portanto, deve ser aquele elemento que nos ajuda quando estamos pensando em dizer algo ao outro levando e conta as conseqüências do que será dito. Minha responsabilidade sobre o que sou capaz de dizer.


..sem chance para quem tem mania de dizer da boca para fora...


terça-feira, 9 de setembro de 2008

com saudades...


similitudes

Clarice Fotobiografia: da professora da USP, Nádia Battella Gotlib

domingo, 7 de setembro de 2008

Silvina Ocampo

El Poder de la Palabra


" Sabías a qué hora Gabriel pasaba, galopando en su caballo oscuro, para ir al almacén o al mercado, y lo esperaba con el vestido que más te gustaba y con el pelo atado con la más bonita de las cintas. Te reclinabas sobre el alambrado en posturas románticas y lo llamabas con tus ojos. Bajaba del caballo, saltaba el zanjón para acercarse a Eulalia y a Magdalena, tus amigas, que no lo miraban. ¿Qué prestigio podía tener para ellas su pobreza?. El traje de mecánico de Gabriel las obligaba a pensar en otros varones vestidos. "